5.5.5. Que devemos saber sobre os regimes, as doses e os calendários de vacinação?

Qual a diferença entre a vacinação por via intradérmica e a vacinação por via intramuscular?
- A administração por via intramuscular consiste na injeção profunda de uma dose da vacina, com um volume entre 0,5 a 1 ml, (dependendo da vacina utilizada) no músculo deltóide nos adultos e na parte lateral da coxa nas crianças.
- A administração por via intradérmica consiste na injeção de uma dose da vacina, com um volume de 0,1 ml, na camada superficial da pele sobre o músculo deltóide nos adultos e sobre a parte lateral da coxa nas crianças. O aparecimento de uma pequena bolha, com a aparência de uma «casca de laranja», é a confirmação de que a vacina foi administrada corretamente.
- As pessoas de todos os grupos etários podem ser vacinadas com as VCC [1] pré-qualificadas pela OMS [2] (para ver a lista, clicar aqui ) quer por via intramuscular, quer por via intradérmica, com as doses recomendadas acima, independentemente da idade.
- O regime intradérmico requer um número consideravelmente menor de vacinas que o regime intramuscular, portanto deve ser utilizada a vacinação por via intradérmica quando os recursos são reduzidos e o número de pacientes, que necessitam de uma PPE [3] diariamente, é de pelo menos dois ou mais.

Quais são as potenciais economias da vacinação intradérmica em relação à vacinação intramuscular?
Para comparar os custos benefícios de diferentes regimes de PPE em diferentes condições clínicas, consulte estes documentos.
Disponibilizamos aqui uma ferramenta simples e disponível em linha para calcular as doses dos diferentes regimes de PPE para clínicas com diferentes números de casos de suspeita de raiva.

JPEG - 35.2 kb
Fotografia gentilmente cedida por Saneekan Rosamontri

Há uma dose única de vacina disponível contra a raiva?
Não.

Quantas doses de vacina tenho de receber no âmbito da PreP [4]?
Três doses de vacina por via intramuscular ou intradérmica, nos dias 0, 7 e no dia 21 ou 28.

De quantas doses de vacina necessito para a PPE?
- A PPE só pode ser administrada por uma de duas vias, ou por via intramuscular ou por via intradérmica.
- Se a PPE for administrada por via intramuscular, receberá 4 ou 5 doses da vacina, dependendo do regime de vacinação que o médico utilizar.
- Se a PPE for administrada por via intradérmica, receberá várias doses de vacina anti-rábica, em menor quantidade, geralmente dadas em quatro dias diferentes, durante um período de 28 a 90 dias.

Há algum problema em alternar a administração da VCC para a PPE entre a via intramuscular e a via intradérmica?
A OMS não recomenda esse procedimento.

Atrasei o meu calendário de vacinação da PreP e/ou da PPE, qual a flexibilidade do calendário?
O regime deve ser seguido o mais rigorosamente possível. No entanto, um dia ou dois de atraso é admissível. No caso de atrasos mais prolongados, deve contatar um médico para que a situação possa ser analisada.

Com que frequência tenho de receber um reforço depois de receber a PreP?
As pessoas que estão em permanente ou frequente risco de exposição (trabalhadores das instalações de produção de vacinas, veterinários em zonas altamente endêmicas, etc.) devem verificar periodicamente o seu título de anticorpos (ou seja, a quantidade de anticorpos presentes no sangue): semestralmente no caso das pessoas que trabalham com o vírus da raiva vivo e anualmente nas outras profissões em permanente risco de exposição à raiva. Se o título for inferior a 0,5 UI [5]/ml, as pessoas devem receber uma dose de reforço de rotina. As outras pessoas não necessitam de reforço de rotina. São necessários laboratórios especializados para medir os níveis de anticorpos nas amostras de soro (análise sorológica) de indivíduos vacinados. Estes testes são onerosos e atualmente só são efetuados em laboratórios internacionais de referência.

É necessário fazer uma análise de sangue para verificar o título de anticorpos, antes de receber a vacina de reforço depois de uma exposição? Não.

Recebi três doses de vacinas, no regime de PPE, mas o cão que me mordeu continua vivo. Será necessário continuar com o regime de vacinação e chegar ao fim da profilaxia em curso?
Se o cão continuar vivo dez dias depois da exposição, não há necessidade de continuar o tratamento.

O médico administrou a vacina nas nádegas, que devo fazer?
A vacina tem de ser novamente administrada de forma correta, na região deltóide.

O que fazer quando não se recebe a dose de vacina na data prevista?
O regime deve ser seguido o mais rigorosamente possível. No entanto, um dia ou dois de atraso no regime da PPE e/ou PreP é admissível. No caso de atrasos mais prolongados, deve contatar um médico para que a situação possa ser analisada.

[1] Vacina em cultura de células

[2] Organização Mundial de Saúde

[3] Profilaxia pós-exposição

[4] Profilaxia pré-exposição

[5] Unidade internacional




página anterior: 5.5.4. Como podemos tratar ou evitar as exposições?

página seguinte: 5.5.6. Haverá alguma situação que interfira com a profilaxia pós-exposição?





Página de abertura do sítio | Contacto | Planta do sítio |
Segunda versão; última atualização em julho de 2013