5.5.4. Como podemos tratar ou evitar as exposições?

Fui mordido por um cão, o que devo fazer?
Lavar imediatamente a ferida com água e sabão é extremamente importante e uma das formas mais eficazes de reduzir o risco de contrair a raiva. Uma vez que a raiva é transmitida através da mordedura de um animal com raiva, a lavagem da ferida permitirá retirar o máximo de saliva possível (logo, o vírus), diminuindo assim a probabilidade da infecção. Lave a ferida com água e sabão (ou detergente) durante, pelo menos, 15 minutos e procure uma consulta médica. Se não dispuser de sabão, lave pelo menos a ferida com água durante 15 minutos e depois vá diretamente para um hospital (ver abaixo) para recorrer a cuidados médicos adequados. Clicar aqui para obter mais informações sobre a gestão das mordeduras e a profilaxia anti-rábica.

JPEG - 39.7 kb
Fotografia gentilmente cedida pelo «Serengeti Carnivore Disease Project»

Posso apenas observar o cão e não tomar a vacina?
Os cães podem libertar vírus da raiva durante 10 dias antes de aparecerem os sintomas da doença. No caso de uma mordedura de cão, a ferida deve ser imediatamente tratada (lavar a ferida com água e sabão pelo menos durante 15 minutos) e deve ser ouvida a opinião de um médico. Deve ser iniciada a vacinação, mas se o cão suspeito estiver vivo passados 10 dias, o processo de vacinação pode ser interrompido.

Como posso tratar a ferida causada pela mordedura de um cão que poderá ter tido raiva?
Lave a ferida com sabão ou detergente e muita água durante pelo menos 15 minutos e depois procure ajuda médica.

JPEG - 46.4 kb
Fotografia gentilmente cedida pelo Dr. S.R. Garg, Hisar, Índia

Fui mordido por um cão há três meses e o cão morreu quatro dias depois de ter me mordido. Não fiz qualquer tratamento. Estarei em risco? O que devo fazer?
Nas regiões onde a raiva canina está presente é aconselhável fazer a vacinação pós-exposição.

Depois de ter estado exposto, quanto tempo posso esperar para receber a PPE [1]?
Deve procurar fazer a profilaxia o mais depressa possível. Não espere.

Devo receber a PPE, mesmo para um arranhão ou uma ferida pequena?
Sim, no caso de suspeita ou confirmação de que o animal tem raiva.

O que devo fazer quando retiro a pele ou processo animais que possam ter estado expostos à raiva?
Assegure-se que está utilizando roupas protetoras (luvas, máscaras, óculos) para evitar a exposição a tecidos infectados. Se o animal esteve exposto nos sete dias anteriores, retire uma grande parte à volta do local da exposição e destrua o tecido. Se a exposição do animal foi há mais de sete dias elimine o animal e não coma a carne.

Porque deve a IGR [2] ser injetada na ferida se é um processo doloroso?
A IGR é injetada diretamente na ferida para ser eficaz, pois necessita de entrar em contato físico direto com o vírus da raiva depositado na ferida através de mordedura ou arranhão do animal com raiva.

Há realmente necessidade de administrar a IGR quando já fiz a PPE?
Se for possível, a IGR deve ser incluída na PPE, uma vez que começa a atuar de imediato na destruição dos vírus da raiva que possam ter sido depositados nas feridas ou nos arranhões feitos pelos animais. A imunoglobulina anti-rábica é geralmente recomendada para as exposições mais graves, já que muitos países ou regiões não têm este produto imediatamente disponível.

Já fui vacinado anteriormente com uma VCC [3] e agora estive exposto a um animal com raiva, há necessidade de fazer de novo a PPE?
Não. Terá apenas que receber duas doses de reforço da vacina, uma no próprio dia e a outra após 3 dias. Não há necessidade de administrar a IGR.

Já fui vacinado anteriormente com uma VCC [4] e agora estive exposto a um animal com raiva, estarei protegido contra a raiva ou terei que ser revacinado?
Sim, terá que receber duas doses de reforço da vacina, uma no próprio dia e a outra após 3 dias.

O cão que me mordeu estava vacinado, terei de fazer a PPE?
Em princípio, não. Só muito raramente um cão vacinado contrai a doença. Por conseguinte, o histórico das vacinas do cão deve ser verificado por um agente de saúde pública. Se persistirem dúvidas, o cão deve ser posto em observação durante 10 dias, para verificar se existem sintomas da raiva, sob os cuidados de um agente de saúde pública competente ou dos donos com supervisão do agente. Se o cão manifestar sintomas de raiva, deve ser examinado por um veterinário que determina se é necessário, ou não, proceder à eutanásia e fazer o teste de diagnóstico da raiva. No caso de não existirem instalações de diagnóstico disponíveis e o cão apresentar sintomas de raiva, recomenda-se que seja administrada de imediato a PPE..

Se o cão que me mordeu continua vivo, é necessária a vacina da PPE?
Os cães podem ser portadores do vírus da raiva 10 dias antes de manifestarem sinais clínicos da doença. Nas regiões em que a raiva canina está presente e não existem instalações para fazer o diagnóstico ao animal, deve iniciar-se de imediato a PPE. Se o cão continuar vivo passados 10 dias, a PPE pode ser interrompida.

O que é necessário fazer quando ocorre um surto de raiva? Contatar os serviços de saúde pública. Evitar contatos com animais que possam ter estado expostos à raiva. Instruir os membros da sua família sobre a raiva, para que evitem o contato com os animais que estiveram eventualmente expostos à doença.

[1] Profilaxia pós-exposição

[2] Imunoglobulina anti-rábica

[3] Vacina de cultura de células

[4] Vacina de cultura de células




página anterior: 5.5.3. Que devemos saber sobre os produtos de profilaxia humana da raiva?

página seguinte: 5.5.5. Que devemos saber sobre os regimes, as doses e os calendários de vacinação?






Página de abertura do sítio | Contacto | Planta do sítio |
Segunda versão; última atualização em julho de 2013