4.3. Por onde começar a elaborar um plano de comunicação?

A planificação da comunicação compreende oito etapas inter-relacionadas. Estas etapas são essenciais para assegurar uma estratégia bem ponderada que possa ser aplicada em qualquer contexto ou circunstância. O plano é estruturado como segue:

ETAPA 1: Avaliação da ciência

Em geral, a comunicação no domínio da saúde assenta no conhecimento científico e na análise epidemiológica, descritos aqui. Para um esforço de prevenção e de controle da raiva, convém verificar que reservatórios animais (de vírus), provocam mais doenças humanas e definir o ponto de prevenção e de controle. A título de exemplo, se os casos de raiva humana no seu país são principalmente causados por exposição a cães infectados com raiva, os seus esforços devem ser orientados para a prevenção da exposição aos cães. Se a sua região está mais exposta à fauna selvagem, convém concentrar as mensagens no sentido desses esforços. Para saber como avaliar a ciência, clicar aqui.

JPEG - 50.5 kb
EN PT
Carnivores (wild) and batsCarnívoros (selvagens) e morcegos
Carnivores (domestic) and batsCarnívoros (domésticos) e morcegos
BatsMorcegos
Carnivores (domestic and wild)Carnívoros (domésticos e selvagens)
Carnivores (wild) and batsCarnívoros (selvagens) e morcegos
Carnivores (domestic)Carnívoros (domésticos)
Rabies absentAusência de casos de raiva
Only bat rabies presentPresença de casos de raiva apenas em morcegos
Rabies presentPresença de casos de raiva
No data availableDados indisponíveis

ETAPA 2: Definição do objeto da comunicação

As intervenções e os programas são lançados logo que existem provas suficientes quanto à importância de uma alteração de comportamentos. Informar, significa fornecer dados factuais sem qualquer intenção de influenciar uma decisão, mas sim de ajudar a tomar decisões. Convencer consiste em mudar os comportamentos dos indivíduos ou das comunidades para promover uma vida saudável. Para saber como definir o objeto da comunicação, clicar aqui.

ETAPA 3: Identificação e compreensão dos públicos

A finalidade da comunicação é sempre específica a um público e deve visar o que o receptor deve fazer em resposta à mensagem. A identificação e a compreensão do público-alvo são essenciais. As mensagens raramente abrangem, ou são entendidas por todas as pessoas, por isso é muito importante levar em conta a segmentação do público. Os estudos centrados nos conhecimentos, atitudes e práticas (CAP) podem ajudar a avaliar o nível de conhecimentos e a percepção das pessoas sobre a raiva, podendo assim servir de base para adaptar as mensagens aos destinatários. Clicar aqui, para consultar exemplos de estudos CAP sobre a raiva e outras doenças. Para saber como identificar o seu público-alvo, clicar aqui

JPEG - 45.5 kb
Fotografia gentilmente cedida pelo «Serengeti Carnivore Disease Project»

ETAPA 4: Desenvolvimento e verificação das mensagens

O desenvolvimento de materiais de comunicação adaptados aos destinatários aumenta a probabilidade da recomendação para a prevenção ser seguida. Assim que as mensagens e os materiais forem criados, devem ser testados no público-alvo. Este ensaio é fundamental para garantir que as mensagens são seguidas. Para saber como desenvolver e testar as mensagens, clicar aqui. Para consultar uma lista de rubricas a observar durante o teste prévio das mensagens e dos materiais e ver um exemplo de uma entrevista de intercepção, utilizada como teste prévio de materiais de prevenção da raiva, clicar aqui.

ETAPA 5: Escolha dos meios de comunicação sociais e dos canais de comunicação para a mensagem

Avalie os recursos atuais na sua localidade com base nos canais de comunicação mais utilizados pelo seu público-alvo. Estes são os formatos ou os canais de saída mais utilizados e em que a sua população-alvo confia. Poderão ser cartazes, folhetos informativos, os meios de comunicação sociais, leitura direta, publicações, mensagens de correio eletrônico, vídeos, etc. Procure os meios de comunicação mais eficientes, adequados às suas necessidades. Por exemplo, os materiais em suporte de papel podem não ser os mais eficazes em algumas localidades. Neste caso, concentre-se em outros meios, como a rádio. Para saber como escolher os meios e os canais de comunicação para a mensagem, clicar aqui.

JPEG - 50.6 kb
Fotografia gentilmente cedida pelo Dr. Peter Maina, Kibera, Quênia

ETAPA 6: Determinação do momento oportuno para passar a mensagem

O momento certo para passar a mensagem deve ser determinado com base em uma casuística. Pode escolher uma determinada época do ano para efetuar uma sensibilização mais proativa contra a raiva (sob a forma de uma campanha), enquanto haverá outros períodos em que seja necessário apoiar-se num esforço de comunicação rápida dos riscos em caso de surtos de raiva (por exemplo, exposição generalizada) ou de maior risco de exposição (por exemplo, exposição acrescida à raiva em certos meses, se houver transmissão sazonal). As mensagens para a prevenção e controle da raiva prestam-se bastante a ser integradas nas iniciativas do Dia Mundial da Raiva, em Setembro. No entanto, o risco de transmissão da raiva, em determinados lugares, pode prevalecer nos meses de verão, justificando a comunicação rápida durante os períodos em que se verifique uma exposição generalizada ao vírus. A identificação do período mais conveniente para a sua localidade é importante, sabendo que pode escolher mais do que uma época por ano. Para saber como determinar o melhor momento para passar a mensagem, clicar aqui.

JPEG - 53.6 kb
Fotografia gentilmente cedida pelo Dr. Asabe Dzikwi da Universidade Ahmandu Bello

ETAPA 7: Execução do plano de comunicação

Ao executar o plano, várias questões devem ser consideradas, incluindo o calendário do lançamento, a organização de um evento, a informação dos meios de comunicação sociais, o momento da publicação e a manutenção da campanha de comunicação a longo prazo. Para saber como elaborar um plano de comunicação, clicar aqui.

ETAPA 8: Avaliação do esforço e do seu impacto.

A avaliação do programa é fundamental para demonstrar o seu sucesso, melhorar alguns aspectos e justificar o financiamento para os próximos anos. A avaliação é habitualmente a primeira etapa sujeita a cortes nos programas de comunicação em matéria de saúde devido a restrições orçamentais. Os recursos indicados no presente documento e através da iniciativa do Dia Mundial da Raiva podem ajudar a assegurar a concretização da avaliação adequada. Para saber como avaliar o esforço e os seus impactos, clicar aqui.




página anterior: 4.4.Como desenvolver um plano de comunicação adequado à minha zona, à minha região ou ao meu país?

página seguinte: 4.2. Em que consiste a comunicação no domínio da saúde?






Página de abertura do sítio | Contacto | Planta do sítio |
Segunda versão; última atualização em julho de 2013