1.9. Será possível prevenir a raiva humana através de tratamento profilático?

A perda de vidas humanas devido à raiva pode ser substancialmente reduzida pelo aumento da disponibilidade e acessibilidade de vacinas anti-rábicas humanas, bem como de imunoglobulinas anti-rábicas, como demonstrado neste estudo. No entanto, se for esta a única estratégia adotada, os custos financeiros são elevados e tenderão a aumentar, uma vez que as vacinas humanas são muito mais onerosas do que as vacinas para os animais, e pelo fato da doença não ser erradicada na origem (na população canina). Dois elementos fundamentais para iniciar um programa nacional contra a raiva canina são a oferta suficiente de produtos biológicos contra a raiva humana e a formação adequada dos profissionais de saúde, a fim de evitar a utilização inútil destes produtos. Esta estratégia contribuirá para prevenir a raiva nas pessoas expostas à doença e proteger os agentes implicados nas atividades associadas ao programa de controle. Prevê-se que, no início do programa, se verifique um aumento da utilização de produtos biológicos destinados aos seres humanos devido a uma maior acessibilidade e ao reforço da vigilância da raiva. No entanto, a posterior diminuição de casos de morte em humanos decorrente da redução da raiva canina, em resultado de programas de vacinação canina eficazes, contribui geralmente para uma diminuição da utilização de produtos biológicos onerosos para humanos, o que implica em uma economia significativa para o setor da saúde pública.




página seguinte: 1.8. Quais as medidas disponíveis para o controle da raiva canina?






Página de abertura do sítio | Contacto | Planta do sítio |
Segunda versão; última atualização em julho de 2013